tudo tem limite

O navio preto de chaminés amarelas deixa o cais. Vira o corpo.
Devagar. Faz espuma. Com cuidado.

Fluxos e refluxos. Movimento. O navio de chaminés já vai
pequeno. Pro alto mar.

Feliz do que passa a vida a ver navios, a afagar navios, a
bater-lhes no pescoço.

Os navios. A bondade e a serenidade dos navios. O apito dos navios.